• Educação

Educação

14/03/2016

Informativo nº 007 / 2016 - Prazo para contribuições à BNCC encerra-se amanhã

Curitiba, 14 de março de 2016

PRAZO PARA CONTRIBUIÇÕES À BASE NACIONAL
CURRICULAR COMUM ENCERRA-SE AMANHÃ

Prezados Colegas,

Em complemento ao Informativo 04/2016-CAOPCAE/Educação, comunica-se que, o prazo para as contribuições à Base Nacional Curricular Comum - BNCC, no site do Ministério da Educação, encerra-se amanhã (15/03/2016).

Entre as críticas ao mencionado documento, conforme especialistas, destaca-se a retirada de temas considerados fundamentais e o depauperamento da abordagem de cada temática.

Em reportagem veiculada no Jornal Gazeta do Povo, desta segunda-feira, foram apontadas as considerações de alguns especialistas, tendo como fonte: Pedro Paulo Funari, professor do Departamento de História da UNICAMP; Reginaldo Rodrigues da Costa, do Curso de Pedagogia da PUCPR; Maria Tereza Carneiro Soares, professora da UFPR, do Setor de Educação:

Quanto ao TEOR GERAL DO DOCUMENTO, as considerações registram que "A BNCC traz esperança de melhorias no ensino do Brasil, mas a primeira versão do texto divulgada é preocupante. Em vez de incluir temas e abordagens que faltavam nos antigos parâmetros curriculares a BNCC retira temas e empobrece a abordagem de vários conteúdos".

Quanto à disciplina de HISTÓRIA, "Desaparecem assuntos importantes da História Universal, principalmente da Antiguidade e das Idades Média e Moderna. O currículo foca o estado nacional, principalmente o período posterior à Independência do Brasil. Para os especialistas, reduzir a aprendizagem principalmente a temas brasileiros dificulta a preparação da população para a interação do Brasil com outros países, e o enriquecimento que vem nessa troca de informações. Além disso, como nas escolas particulares dificilmente se deixará a formação clássica, a medida tende a aumentar a desigualdade social em relação aos alunos da rede pública."

Quanto à disciplina de PORTUGUÊS, "As principais lacunas encontradas estão na gramática e na literatura. No caso da gramática, a partir do quarto ano do ensino fundamental falta uma proposta clara, apenas se menciona que a matéria deve ser trabalhada nos textos de estudo. Especialistas reafirmam a importância do estudo da norma culta e estranham a ausência de temas concretos. Na Literatura, a linha cronológica de estudo deixa de existir. Hoje, por exemplo, os alunos de Ensino Médio começam a estudar a Literatura Portuguesa, com os textos trovadores galego-portugueses da Idade Média, depois passam pelo humanismo e classicismo em Portugal, até chegar à época em que a Literatura Portuguesa e Brasileira coexistem, em todas as suas etapas. A BNCC, porém, rompe essa ordem e propõe 'produções literárias de autores da Literatura Brasileira contemporânea' e 'obras africanas de língua portuguesa' e da 'literatura indígena'."

Para a cadeira de MATEMÁTICA, afirma-se que, "Em geral, o conjunto de matérias relacionadas à Matemática manteve a divisão clássica seguida em grande parte das escolas. Isso trouxe críticas de especialistas que alertam sobre a importância da interação entre as diferentes áreas."

Ainda, conta-se com a opinião, dentre outros, da especialista Paula Louzano (comentarista educacional da Rádio CBN) publicada originalmente nas páginas amarelas da Revista Veja de 20 de fevereiro de 2016, disponível no site "Movimento pela Base Nacional Comum".

Os alertas da especialista conduzem à nossa conclusão pela necessidade do acompanhamento, por parte dos Membros Ministeriais, de modo a contribuir com a educação do país, avaliando-se o documento de modo crítico, mas, sobretudo, contextualmente, levando ao conhecimento de todos, a posição de autoridades científicas, cujas produções estejam acima dos propósitos políticos ou não se submetam a doutrinas ideológicas.

O cronograma atualmente previsto aponta para o mês de maio, quando deverá ser divulgada uma segunda versão da proposta feita a partir das sugestões recebidas e que deverá ser o centro dos debates nas Secretarias de Educação. A versão final está prevista para fechamento em junho de 2016, que deverá ser enviada à votação no Conselho Nacional de Educação.

Confira materiais anexos.

Atenciosamente,

 

Hirmínia Dorigan de Matos Diniz
Promotora de Justiça
Murillo José Digiácomo
Procurador de Justiça - Coordenador

 

Matérias relacionadas:   (links internos)
»   Informativo nº 04/2016 - BNCC - Base Nacional Comum Curricular (16/02/2016)

Anexos:   (arquivos PDF)
»   Base Nacional Comum Curricular enfrenta críticas (Notícia 24/02/2016)
»   Leitura crítica: Base Nacional Comum - Balanço preliminar - Dezembro/2015
»   Análise Internacional: Base Nacional Comum - Elaborado pela Curriculum Foundation - Janeiro/2016
»   Jogamos o nível lá embaixo - Entrevista com Paula Louzano, especialista em política educacional
»   Os Paralamas no MEC: Uma breve análise da disciplina Língua Portuguesa na nova Base Nacional Comum
»   Infográfico: Conheça as críticas feitas ao novo currículo (Jornal O Globo)
»   Base Nacional Comum Curricular (2015)

Referências:   (links externos)
»   Base Nacional Comum Curricular (MEC)
»   Movimento pela Base Nacional Comum

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem